vera

Padrão

Ontem vi-te a espreitar…
Por estes dias, costumas andar por aqui, a rondar, a rondar, a ver se chegas no momento oportuno, e onde te hás-de instalar. Vens de longe, carregada dos anseios que te vão dirigindo à distância, mas leve, feliz pelo que vais trazer.
E ontem, vi-te a espreitar atrás de uma árvore, e depois corrias para trás de outra, e de outra, e brincavas contigo própria, saltitando. Era tal o afã de chegares, que nem parecias cansada, como se o teres atravessado um longo território gelado não te tivesse esmorecido o ânimo.

Lá estavas atrás da árvore, via a tua saia de chita, rodada, rodeando o tronco, a querer chegar mais depressa que tu. E entre saltita e esconde, prende-se a saia num ramo, e desse pano de chita se desprendem as flores. Vão-se dispersando pelo verde, e em pouco tempo se atapeta a terra. Olhas e ris-te, do gozo das cores e da vida. Saltas entre as pedras, a terra e os canteiros, e ao esvoaçar o teu cabelo, crias uma suave brisa fresca que transporta o cheiro das alfazemas. Vais até ao regato, e com as mãos de água salpicas o ar, e esses aguaceiros refrescam os novos dias. Reflete-se o teu rosto na água límpida e dessa luz se criam arco-íris de esperança. E vais ficando…

E vão passando os dias… e vais ficando… e vão passando os dias… e vais prevendo que, como habitualmente, se aproxima… quase o imaginas já ao longe… aquele galope vigoroso. À mão esquerda, um galope certo, musculado, que faz estremecer quando ressoa em voz forte mas terna… Vera…Vera… Não que assuste, mas como que se impõe… O bater dos seus cascos vai pisando as flores, que vão regressando à terra, o sacudir vigoroso das suas crinas cria um vento forte e súbito, um bafo quente, de sul. Atravessa abruptamente o regato, e criam-se nuvens cheias e uma tempestade repentina. Resfolega de contentamento aquele cavalo grande, possante, imenso, da cor de um sol poente…

Sabes que tens o teu tempo, que é de partir para outros campos. Rodopias na tua saia de chita, levantas a tua mão brilhante como um cristal, acenas e vais dizendo… adeus, bem-vindo, Verão…

DSC_0756

 

Anúncios

Os comentários estão fechados.